Fernando de Noronha assina Protocolo de Intenções para oferecer cursos de graduação pela UFRPE

segunda-feira, abril 05, 2021

A população do arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, poderá ingressar em cursos superiores oferecidos pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

A universidade e a Administração da ilha assinaram protocolo de intenções para a oferta de dois cursos superiores: Tecnólogo em Gestão de Negócios Sustentáveis, que dura dois anos, e o bacharelado em Administração e Empreendedorismo, com quatro anos de duração. As graduações serão oferecidas no modelo EaD (ensino a distância), com previsão para início no primeiro semestre de 2022.


O ingresso nos cursos, a partir do convênio, será feito através de notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Por conta disso, enquanto os cursos superiores não começam de fato, a Universidade Federal Rural de Pernambuco vai iniciar a preparação dos estudantes da ilha com a capacitação do pré-Enem (de forma online), dentro do programa de extensão, também em parceria com a administração, com monitores da própria universidade, no início do segundo semestre.

As duas graduações podem ser feitas de maneira isolada ou complementar, com o estudante obtendo o diploma de tecnólogo e complementando - caso tenha interesse - com o restante da grade do bacharelado, sendo possível conseguir a formação nas duas áreas em quatro anos de estudo.

A iniciativa para levar formação superior para Noronha, no modelo EaD, começou a ser desenhada em 2019, quando uma equipe intersetorial da administração procurou a universidade para a futura parceria. Em fevereiro de 2020, representantes da instituição fizeram uma visita técnica ao arquipélago, conversando com os gestores da educação na ilha, estudantes, empresários, Conselho Distrital e a comunidade em geral, para compreender o que poderia ser oferecido em termos de ensino.

De acordo com o professor Alexandro Machado, da Unidade Acadêmica de Educação a Distância e Tecnologia da UFRPE, a ideia é que a atuação da UFRPE seja permanente na Ilha, portanto os cursos foram estruturados a partir da matriz direta do Ministério da Educação (MEC, e não pela Universidade Aberta do Brasil (UAB).

O docente preside a Comissão de Estruturação do Programa Noronha, que inicialmente promoveu pesquisa sobre a vocação profissional da Ilha, sob financiamento do Governo do Estado. “Realizamos levantamento das necessidades, junto ao setor produtivo, estudantes, professores, e percebemos o que seria interessante do ponto de vista da graduação, da pós-graduação e da extensão”, ressaltou.

Em maio, docentes da UFRPE realizarão um seminário interno com a administração para discutir todos os detalhes do convênio.

Na ocasião da assinatura do Protocolo de Intenções, o administrador do arquipélago, Guilherme Rocha, reforçou a importância desse momento para a educação na ilha.

“Estamos muito felizes por assinar essa parceria com a UFRPE porque, quando investimos em educação, estamos investindo no futuro, na formação das pessoas que vivem na ilha. Estamos formando cidadãos. Existe algo muito específico da comunidade noronhense, que todos aqueles que querem estudar precisam sair da ilha. Isso é algo muito danoso para o ilhéu. Então, quando a gente começa a reverter essa realidade, começamos a pensar não só no futuro da ilha, mas na própria vida das pessoas", comentou.

FolhaPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »