Sinbeleza emite carta aberta ao povo pernambucano

quarta-feira, março 24, 2021

 

Alegando que salões de beleza, barbearias e clinicas de estética, dentre outros setores, são importantes para a saúde mental e física da população, o sindicato responsável por estas categorias emitiu, hoje, uma carta aberta ao povo pernambucano, repudiando o último decreto estadual, que determinou o fechamento de tais estabelecimentos. O Sinbeleza, como é conhecido, defende a continuidade dos serviços, seguindo o plano de biossegurança já apresentado e implantando. Confira!

Carta aberta ao povo pernambucano

Nós do sindicato dos donos de salões de beleza, clínicas de estética e barbearias do estado de Pernambuco (Sinbeleza/PE), representando aproximadamente 45 mil empresas, tornamos pública a nossa insatisfação com o decreto estadual n. 50433 de 15 de março de 2021.

Mesmo solidários e cientes do atual cenário da pandemia e do delicado momento em que a rede de saúde pública e privada enfrentam, o Sinbeleza se mostra indignado com os critérios utilizados na definição de quais setores podem ou não atuar.

Após longos 90 dias de incertezas, portas fechadas, faturamento nulo, nosso setor retornou e, para isso, investiu bastante na implantação de protocolos de biossegurança, além dos exigidos pelo comitê de crise. Atendimento sob agendamento prévio, monitoramento de colaboradores, distanciamento e constante limpeza das estações de trabalho e uso de equipamentos de proteção individual agora fazem parte de nossa rotina de trabalho. O que gerou aumento de nossos custos e diminuição de faturamento.

O momento é crítico, de fato, muitas vidas foram perdidas por este vírus, mas parar um setor produtivo como o nosso, que não possui quaisquer alternativas de continuidade, torna critica a subsistência de todos que o compõe, devido à natureza de nossa prestação de serviço que é pessoal. Diversas empresas não sobreviveram ao primeiro lockdown e outras tantas não retornaram ao segundo fechamento. Neste momento o setor está à beira do colapso financeiro.

É notória a importância de preservar empregos, renda e empresas. A iniciativa privada já recorreu à crédito, postergou impostos, utilizou banco de horas, férias coletivas, quebra de contratos e prorrogação de dívidas. Os empresários estão no limite da saúde financeira e, infelizmente, centenas de empresas fecharam as portas. Não há mais alternativas à mesa, expectativas ou qualquer medida que possa ser feita para a continuidade das empresas do setor.

O decreto expedido nesta data traz em si diversas incongruências. Não há uma base científica ou técnica que consiga comprovar que setores são essenciais ou não, ou ainda, que setores são mais nocivos a segurança de todos. Contudo há diversos estudos que provam que salões de beleza, academias dentre outros setores são importantes para a saúde mental e física da população.

O sindicato defende a continuidade dos serviços, seguindo o plano de biossegurança já apresentado e que foi implantando e seguido com sucesso, bem como a colocação deste tão importante setor nos mesmos parâmetros de demais tidos por este Governo como essenciais a exemplo de supermercados, lojas de veículos, lojas de produtos de higiene e limpeza que, não possuem a mesma condição de controle de acesso, higienização e distanciamento que o setor da beleza já aplica com competência. Apelamos ao nosso Governo que reconsidere as medidas restritivas e busque novas soluções que resolvam o problema e não o ampliem.

Sindicato dos donos de salões de beleza, clínicas de estética e barbearias do estado de Pernambuco – Sinbeleza

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »