Após quatro anos, Náutico acerta acordo com Givanildo Oliveira por dívida de R$ 500 mil

terça-feira, março 30, 2021

Cerca de um ano após ser intimado pela 5ª Vara do Trabalho do Recife a leiloar a garagem do departamento de remo para o pagamento de dívidas trabalhistas com o técnico Givanildo Oliveira, o Náutico acertou um acordo com o ‘Rei dos Acessos’ para quitar o passivo de R$ 517 mil. O débito em questão é referente a direitos trabalhistas não pagos em sua última passagem pelo clube, quando comandou o Alvirrubro na Série B do Campeonato Brasileiro 2016.

Para entender o acordo entre as partes, a reportagem do Esportes DP entrou em contato com o presidente do Timbu, Edno Melo. Enaltecendo a postura austera da gestão com as finanças, o mandatário esclareceu e refrescou a memória do torcedor alvirrubro sobre a origem do débito.


“Hoje, nós conseguimos, na Justiça, fazer um acordo com Givanildo. Ele passou no clube em 2016, não recebeu o vencimento, entrou na Justiça e o prédio da garagem do remo foi a leilão pela primeira vez. Agora, conseguimos fazer um acordo com ele. Mais uma vez, trabalhando para diminuir o passivo do clube e mostrando que tem que administrar o clube com responsabilidade”, disse o presidente alvirrubro.


A CAUSA


A causa teria se originado quando o treinador moveu ação contra o clube para cobrar direitos trabalhistas não pagos em sua última passagem pelos Aflitos. Dessa forma, o Náutico foi condenado a indenizar o treinador em janeiro de 2018 com a quitação de salários atrasados, 13º salário e férias proporcionais, multas por não pagamento de verbas e indenização pelo não recolhimento do FGTS.


A reportagem tentou entrar em contato com Givanildo Oliveira, autor da ação, mas até o momento da publicação desta matéria, não obteve sucesso.


DP

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »