Piloto recifense perde R$ 63 mil após sofrer golpe em leilão falso de carro na internet

quarta-feira, fevereiro 10, 2021
Um piloto de avião recifense perdeu R$ 63 mil após sofrer um golpe de uma quadrilha que se passava pela Coliseum Leilões, empresa de leilões online, sediada em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata pernambucana. Pedro Ferreira, de 28 anos, tentou compra um carro com a oferta de lances, mas, depois de transferir a quantia para uma conta bancária, não teve as ligações retornadas. O piloto havia juntado as economias por cerca de dois anos.

De acordo com o piloto, após arrematar o carro no formato online, uma mulher que se apresentou como funcionária da empresa de leilões, fechou o contato com ele. "Recebi uma ligação dela me parabenizando pela compra do carro, em seguida foi me explicando como eu precisava fazer para seguir com o processo. Assinei o contrato, realizei a transferência bancária e aguardei a nota fiscal", detalha Pedro. A vítima ainda conta que tentou avaliar o carro pessoalmente, mas a atendente justificou que não era possível em decorrência da pandemia da Covid-19.

Por outro lado, a expectativa era de retirar o carro em até três dias úteis, mas Pedro relata que, após a transferência bancária que fez, a atendente não atendeu mais suas ligações, bem como não respondeu as mensagens deixadas pelo comprador. Após a vítima contar a situação à família e amigos, percebeu-se que o site da compra era falso. Os familiares do piloto, chegaram a entrar em contato com a verdadeira Coliseum, que informou que o último leilão de carros aconteceu em dezembro de 2020.

"Quando fui pesquisar, cliquei na primeira opção de site que apareceu na internet, vi que era real pelo endereço, logomarca, telefones com o DDD do estado, além de outros detalhes que estavam na tela, não tive dúvidas, e fiz o negócio", relatou Pedro.

Após cair no golpe, o piloto tenta recuperar o valor perdido e está movendo ações judiciais para encontrar os responsáveis pelo crime. Ao procurar a Delegacia de Repressão ao Crime Cibernético para registrar a ocorrência, ele tomou conhecimento de que a associação criminosa tem origem de São Paulo e já fez várias vítimas pelo país. Além disso, os criminosos estariam usando o CNPJ de uma empregada doméstica - que também seria uma vítima - para aplicar os golpes.

No momento, Pedro não está exercendo suas atividades como piloto de aeronaves e guia de passeios na Disney, devido ao novo coronavírus, e, por conta disso, precisou recorrer à ajuda de familiares e amigos.

DP

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »