Justiça determina afastamento da secretária de Saúde de Jupi, suspeita de furar fila da vacinação contra a Covid-19

quinta-feira, fevereiro 04, 2021
O juiz Paulo Ricardo Cassaro, da Comarca de Jupi, no Agreste de Pernambuco, determinou o afastamento da secretária de Saúde do município, que é suspeita de furar a fila da vacinação contra a Covid-19, além de autorizar a imunização do fotógrafo da prefeitura - ambos não pertencem a nenhum grupo de risco.


No documento, o juiz ainda determinou que tanto a secretária quanto o fotógrafo devem se manifestar por escrito em um prazo de 15 dias para prestar esclarecimentos à Justiça. A Prefeitura de Jupi já havia afastado a secretária, mas a decisão assegura o afastamento judicialmente.


"O perigo de dano resta claro diante do fato de que a pessoa diretamente incumbida de coordenar os trabalhos da municipalidade na prevenção e combate da Covid-19, naquele que talvez seja o ato mais importante da pandemia, qual seja, a vacinação, demonstrou tê-lo feito com desvio de finalidade", destacou o magistrado.



Vídeo do fotógrafo






Vídeo mostra fotógrafo de Jupi tomando suposta vacina contra a Covid-19



Um vídeo que foi postado nas redes sociais no dia 19 de janeiro mostrou o fotógrafo da Prefeitura de Jupi supostamente tomando uma dose da vacina contra a Covid-19. Nas imagens, o profissional, que não integra o grupo prioritário, diz que iria "aproveitar o embalo" para se vacinar também. "Aquilo é água. Eu não tomei vacina não. [...] Foi alguém lá na hora gravando e fez essa brincadeira", respondeu o fotógrafo ao ser questionado pela produção da TV Asa Branca.


Em seguida, também no vídeo, o profissional, conhecido como Guilherme JG, mostra o cartão entregue pela Secretaria de Saúde para quem já tomou o imunizante. O município de Jupi recebeu 136 doses da vacina contra a Covid-19 para aplicar em duas etapas nos 69 profissionais de saúde.


O prefeito de Jupi, Marcos Patriota, disse que afastou de imediato o servidor público assim que soube do ocorrido. "Eu fiz uma viagem política para a capital pernambucana, e ao chegar lá, me deparei com algumas notícias sobre um possível servidor público que tinha tomado essa dose. Ao chegar no município, imediatamente, com a procuradoria e o controle interno afastamos a pessoa", afirmou.




Ação civil do MPPE







Vídeo flagra fotógrafo tomando suposta vacina contra a Covid-19, em Jupi


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) entrou com uma ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra o fotógrafo e a secretária de Saúde de Jupi no dia 27 de janeiro.



De acordo com o MPPE, as disposições da Lei nº 8.429/92 "são aplicáveis, no que couber, àquele que, mesmo não sendo agente público, induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta (artigo 3º)", que é o caso dos dois servidores públicos de Jupi.


Ainda segundo o texto do Ministério Público, tanto a secretária de Saúde como o fotógrafo tiveram comportamentos que atentam contra os princípios da administração pública, violando os deveres de honestidade, moralidade, legalidade, imparcialidade e lealdade às instituições.

G1

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »