Fundaj promove Concurso Nordestino de Frevo

quarta-feira, fevereiro 10, 2021
Apesar de 2021 ser um ano marcado pelas ruas vazias, sem o colorido das sombrinhas de frevo e ritmo dos passistas, não devemos deixar de celebrar a festa mais aguardada pelo povo de Pernambuco. Para incentivar a produção de novos frevos e fomentar o setor cultural, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) promoverá o Concurso Nordestino de Frevo – Homenagem ao Maestro Duda, por meio da Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca). Artistas de todo o Nordeste poderão participar.

Mesmo tendo origem no Recife, em Pernambuco, o frevo é um ritmo celebrado por toda região, tendo sido gravado por artistas como Caetano Veloso (BA), Zé Ramalho (PB) e Armandinho Macedo (BA). “O frevo é um ritmo regional e, por isso, o concurso é válido para artistas de todo o Nordeste. Nosso objetivo é mostrar a dimensão e relevância do frevo pelos nove estados e celebrar a história desse patrimônio cultural e social”, explica o diretor da Dimeca, Mario Helio.

Para se inscrever no Concurso Nordestino de Frevo, o compositor deve ser residente em um dos nove estados do Nordeste e apresentar músicas inéditas já com os arranjos. As inscrições ficarão abertas até 12 de junho de 2021 e devem ser realizadas pelo site da www.fundaj.gov.br

Fundação Joaquim Nabuco (www.fundaj.gov.br). Após a publicação no Diário Oficial da União, o edital será disponibilizado na aba Concurso Nordestino de Frevo. Os candidatos devem preencher um formulário eletrônico e anexar os materiais e documentações específicas da categoria.

Em 14 de setembro, Dia Nacional do Frevo, acontecerá o evento de entrega dos prêmios para os 12 vencedores, distribuídos em seis categorias. A apresentação dos vencedores será acompanhada por nada menos que a Orquestra de Frevo Maestro Duda. O homenageado, José Ursicino da Silva, o Maestro Duda, é referência no mundo do frevo. Regente, compositor, arranjador e instrumentista, já participou da gravação de mais de 100 discos, tendo suas músicas gravadas também no exterior.

Além do frevo, o pernambucano ainda compôs choros e sambas gravados por Jamelão. Além de compor, Maestro Duda é uma referência para o Conservatório Pernambucano de Música, onde atuou como professor-arranjador. “É um imenso prazer e felicidade ter sido escolhido para ser o homenageado do concurso. Eu já participei de muitos concursos de frevo mas já fazia muito tempo que não se falava mais nisso. É um incentivo para os escritores pernambucanos e nordestinos”, comemora o Maestro Duda.

Nascido em 1935 na cidade de Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco, começou sua carreira musical cedo: iniciou os estudos de música aos oito anos e aos dez se tornou integrante da Banda Saboeira. Nesse mesmo período, escreveu sua primeira composição, o frevo “Furacão”. A importância do regente é constantemente lembrada: em 1980, recebeu um prêmio de melhor arranjo de Música Popular Brasileira; em 2011, foi o homenageado do Carnaval do Recife; e em 2010 foi eleito Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco.

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »