Com mais jogadores acionados, Náutico mantém uso amplo da base na temporada 2020

segunda-feira, fevereiro 08, 2021
Ao longo dos últimos anos, o Náutico vem, cada vez mais, valorizando o seu trabalho de base. Nesta atípica temporada de 2020 isso ficou bastante claro. Ao longo do ano, 23 pratas da casa foram acionados, oito a mais que nos dois anos anteriores. O aumento de nomes, porém, não refletiu um aumento no tempo deles em campo, com a média de partidas jogadas sendo exatamente a mesma que a base alvirrubra teve em 2019.

Neste ano, o Náutico disputou quatro competições diferentes: Série B, Pernambucano, Copa do Nordeste e Copa do Brasil. Em todas elas, as crias da Guabiraba foram destaques. O que mais entrou em campo foi o atacante Erick, que retornou ao clube no início deste ano, segundo pelo volante Rhaldney, que teve sua primeira temporada com sequência no time principal. Respectivamente, foram 50 e 48 jogos para eles.


Outro nome com muito espaço foi o lateral direito Hereda. Titular do time na campanha do título da Série C, o jovem foi titular na maior parte da temporada, mas, questionado, termina o ano em baixa, precisando se recuperar neste 2021. Rafael Ribeiro, com 38 jogos, também foi bastante acionado em um ano que a zaga do Náutico sofreu com uma série de lesões e desfalques, mas, acertado com o Fluminense, ele deixa o Timbu ao fim da temporada.


Outro nome que foi fundamental na Série C e agora precisa dar uma volta por cima nos Aflitos é o goleiro Jefferson. Na Série B, o arqueiro perdeu a titularidade para Anderson, que foi contratado e se tornou uma das principais caras da recuperação alvirrubra. Kevyn, outro que voltou ao time para a Série B, foi bastante acionado na lateral esquerda timbu e deve ganhar mais chances em 2021, quando o Náutico deve voltar ao mercado para a posição.


No total, os pratas da casa somaram 322 partidas no Náutico, divididas entre esses 23 nomes, nove dos quais entraram em campo pelo menos 10 vezes. Por média, foram 5,5 crias da base acionadas por partida. E, com a manutenção da maioria deles no elenco, a expectativa é de que vários novos nomes ganhem mais espaço em 2021, como o lateral Bahia, o zagueiro Carlão e o meia Juninho Carpina.


USO DA BASE


Jefferson** (goleiro) - 36 jogos (19 B, 7 PE, 8 NE, 2 CBr)
Hereda (lateral direito) - 45 jogos (33 B 6 PE, 5 NE, 1 CBr)
Bahia (lateral direito) - 3 jogos (3 PE)
Rafael Ribeiro* (zagueiro) - 38 jogos (36 B, 8 PE, 4 NE)
Carlão (zagueiro) - 10 jogos (6B, 3 Pe, 1 CBr)
Diego Silva* **(zagueiro) - 8 jogos (4 PE, 2 NE, 2 CBr)
Itambé* (zagueiro) - 2 jogos (2 PE)
Kevyn** (lateral esquerdo) - 20 jogos (20 B)
Rhaldney (volante) - 48 jogos (32 B, 7 PE, 7 NE, 2 CBr)
Wagninho* (volante) - 10 jogos (3 B, 6 PE, 1 NE)
Miro (volante) - 2 jogos (2 PE)
Lucas Paraíba (meia) - 9 jogos (3 B, 3 PE, 3 NE)
Marcos Vinícius** (meia) - 5 jogos (5 B)
Juninho Carpina (meia) - 3 jogos (2 B, 1 PE)
Wanderson (meia) 2 jogos (2 PE)
Erick Cunha (meia) - 1 jogo (1 PE)
Luís Felipe (meia) - 1 jogo (1 PE)
Erick** (atacante) - 50 jogos (32 B, 9 PE, 7 NE, 2 CBr)
Thiago** (atacante) - 16 jogos (12 B, 3 PE, 1 NE)
Jefferson Nem* ** (atacante) - 7 jogos (4 PE, 3 NE)
Julio (atacante) - 3 jogos (2 PE, 1 NE)
Thassio (atacante) - 2 jogos (1 B, 1 PE)
Eric* (atacante) - 1 jogo (1 PE)

* já deixou o Náutico
** segunda pasagem no clube


2020: 23 jogadores, somando 322 jogos (9 com pelo menos 10 presenças)
59 jogos no ano: média de 5,5 pratas da casa por jogo


2019: 15 jogadores, somando 280 jogos (10 com pelo menos 10 presenças)
51 jogos no ano: média de 5,5 pratas da casa por jogo


2018: 15 jogadores, somando 197 jogos (6 com pelo menos 10 presenças)
46 jogos no ano: média de 4,3 pratas da casa por jogo

DP

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »