Recife registra menor número de roubos

quinta-feira, janeiro 14, 2021
O fechamento dos índices de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP) em 2020 colocou o Recife em destaque no combate a esses crimes desde o início da série histórica de estatísticas criminais, iniciada em 2005. A capital pernambucana registrou 17.781 roubos no ano passado, -57,3% em relação aos 41.650 boletins de ocorrência de 2016, ano com o maior número de casos notificados às polícias. Dezembro de 2020 também alcançou a menor incidência na cidade nesse mês, quando analisados os últimos 16 anos. Foram 1.400 roubos. O maior índice registrado em dezembro havia sido em 2016, com 4.002 crimes patrimoniais. Isso significa uma redução de 65% entre o maior e o menor patamar.


Em Pernambuco, as estatísticas de CVP de 2020 apontam menos 26.915 crimes de roubo em relação a 2019. A diminuição foi de 33,8%, saindo de 79.629 crimes para 52.714. No mês passado, ocorreram 4.005 roubos, contra os 5.710 de dezembro de 2019. Corresponde a uma diminuição de 29,86% nesses tipos de infração, que englobam roubos de veículos, celulares, cargas, ônibus, entre outros. Conforme as estatísticas da Secretaria de Defesa Social (SDS), já são 40 meses consecutivos de retração, sempre comparando-se com os mesmos meses do ano antecedente.


“Tivemos em 2020 o mais baixo quantitativo de CVPs dos últimos sete anos em Pernambuco, acima das 51.406 ocorrências verificadas em 2013 e das 50.548 de 2012, o melhor ano do Pacto pela Vida. Os números do ano passado refletem a produtividade das nossas forças de segurança, que precisaram trabalhar em um esforço redobrado nesse ano atípico, devido à pandemia. Ao todo, conseguimos apreender 6.742 armas e autuar 56.065 pessoas autuadas em flagrante delito, contribuindo para aumentar a sensação de segurança dos pernambucanos”, declarou o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.


Redução em todo o território

Em dezembro, a diminuição dos CVPs de 2019 para 2020 ocorreu do Litoral ao Sertão. O percentual de queda mais acentuado foi obtido pela Zona da Mata, com -38,10% (de 601, em dezembro de 2019, caiu para 372). Em seguida, vieram o Sertão, com -33,85% (de 322 para 213); Região Metropolitana, com -27,71% (1.696 para 1.226); e Agreste, com -26,14% (1.075 para 794). O Recife apresentou uma retração de 30,56% (2.016 para 1.400).

Em todo o ano, a capital se distinguiu entre as regiões por atingir -38,21% no confronto entre os índices dos dois últimos anos. Na cidade, as queixas de roubo passaram de 28.778 para 17.781. O segundo melhor recuo pertence à Zona da Mata, onde a população denunciou 5.093 crimes violentos contra o patrimônio no ano passado, -34,03% em relação aos 7.720 de 2019. Depois, o Agreste apresentou queda de 32,51%, saindo de 14.908 para 10.062 casos. Percentual próximo ao da Região Metropolitana, onde os roubos diminuíram de 24.178 para 16.872, ou -30,22%. Por sua vez, o Sertão evidenciou uma queda de 28,16%, de 4.045 para 2.906.

Investidas em ônibus têm menos número em seis anos

O ano de 2020 encerrou-se com o total de 629 roubos a ônibus em Pernambuco. É o menor patamar desde 2014, que tinha finalizado seus 12 meses com 524 casos. A redução em comparação com 2019 alcançou 24,85%, já que no ano anterior a Polícia Civil de Pernambuco havia recebido 837 queixas concernentes a esse tipo de CVP. Em dezembro, aconteceram 39 assaltos a coletivos, -41,79% ao confrontar esses dados com os 67 do último mês de 2019.


Menos de 7 mil celulares roubados

De 2019 para 2020, o número de celulares roubados foi 23,7% menor. A diferença chega a 7.430 roubos a menos: de 31.406 para 23.976. Considerando apenas o último mês do ano passado, a variação foi de -4,2% em relação a dezembro de 2019, ao cair de 2.209 para 2.117. Além disso, em 2020 as forças de segurança pública de Pernambuco conseguiram recuperar 9.813 aparelhos que estavam nas mãos de criminosos.


Subtração de veículos regride

A capital pernambucana também sobressaiu quanto à redução da incidência de roubos de veículos. Em 2020, ocorreram 1.970 crimes dessa modalidade, -35,6% em relação aos 3.059 de 2019. Em todo o Estado, a subtração de veículos em abordagens violentas regrediu 28,75%, passando de 13.224 para 9.422 casos. Somente em dezembro, o Recife passou de 246 para 161 (-34,55%), enquanto em Pernambuco a diminuição foi de 988 para 758 (-23,28%).


Roubo de carga recua 7,5% no ano

Em dezembro último, as ocorrências de roubo de carga no Estado caíram mais que a metade do verificado no mesmo mês do ano antecedente. De 49 queixas, o número baixou para 24, isto é, -51%. No total de 2020, a diminuição atingiu 7,5%, uma vez que o quantitativo de queixas nas delegacias saiu de 573 em 2019 para 530 no ano seguinte.


Investidas contra instituições financeiras caem 11%

Ao longo do ano passado, os crimes violentos consumados visando ao patrimônio de agências bancárias, caixas-eletrônicos e carros-fortes somaram 16 casos em Pernambuco. São dois a menos do que em 2019, ou seja, -11%. Destaque para a redução dos ataques a veículos de transporte de valores, que foram dois em 2020, contra seis no ano precedente, o que representa -67%. No mês passado, a única investida consumada foi um roubo a carro-forte.


Mais de 56 mil prisões em flagrante

As forças de segurança pública de Pernambuco autuaram 4.871 pessoas em flagrante delito em dezembro, chegando ao total de 56.065 flagrantes efetuados em 2020. Em todo o ano, também apreenderam 6.463 adolescentes que cometeram ato infracional. Policiais ainda realizaram a apreensão de 6.742 armas durante esses 12 meses, bem como atuaram em 8.474 ocorrências de tráfico de entorpecentes.


Operações permanentes evitam mais de 3 mil roubos

Juntas, as três operações permanentes contra CVPs que são desenvolvidas no Recife ajudaram a prevenir 3.007 roubos em 2020, se comparado o número de ocorrências com o de 2019. Apenas a Operação Cerne, que abrange o Centro da cidade, trouxe uma diferença de -41,9% nos roubos de um ano para outro: de 3.686 para 2.142. Já a Operação Boa Viagem, focada na Zona Sul, baixou os índices em 41,3%, de 2.654 para 1.559 CVPs. Finalmente, com a Operação Agamenon Magalhães - que contempla o principal corredor viário da capital e seu entorno - os roubos em 2020 corresponderam a menos da metade dos registrados no ano anterior. De 593 queixas, caiu para 225, o que significa -62,1%.

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »