Interditada há três meses, piscina da UFPE acumula sujeira e atividades no local são afetadas

quinta-feira, setembro 12, 2019
A piscina do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) está interditada há três meses após um curto-circuito ocorrido por causa das chuvas em junho. Por causa disso, as bombas de limpeza estão desativadas e uma série de atividades está atrasada no local.

Entre os que precisam da piscina, estão os alunos do curso de educação física e os integrantes de projetos sociais que utilizam a área para realização de várias atividades. Além disso, as salas vizinhas à área da piscina estão sem energia.

Desde que ficou inutilizável, a piscina acumula sujeira e lodo e tem excesso de mosquitos, deixando os estudantes preocupados. "Temos que contar com a sorte para não pegar doença porque passamos o dia inteiro aqui", diz a estudante Aline Ébner sobre o risco das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti.

Agentes de combate ao mosquito da dengue, chikungunya e zika foram ao local para colocar, na água da piscina, um produto que mata larvas.

As aulas para o público de fora da UFPE foram suspensas por causa da interdição da piscina. O servidor público Flávius Pereira treinava quatro vezes por semana no local.

"Eu treinava para concursos e para manter a qualidade de vida. Existem outros programas que atendem pessoas com deficiência e que também está prejudicado desde que a piscina parou de nos atender", conta.

A sala onde o professor Pedro Pinheiro Paes dava aulas é uma das que ficaram sem energia por conta do curto-circuito.

"Estamos sem sala para trabalhar há quatro meses. Estou trabalhando na quadra do ginásio, um lugar totalmente inadequado. Esse problema afeta os docentes, as pesquisas, os alunos, as aulas práticas de natação, polo aquático, hidroginástica. Parece que a piscina não é prioridade da instituição no momento", afirma.

Resposta da UFPE

Segundo o diretor do Departamento de Educação Física na UFPE, Jorge Rocha, os problemas estão sendo resolvidos. "É uma obra que não depende do meu domínio. Todas as providências estão sendo tomadas. Tudo que dependia do nosso núcleo foi feito, todas as solicitações", declara.

De acordo com ele, a responsabilidade é da Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) da UFPE. Em nota enviada ao G1, a Sinfra afirma que "o material para fazer o reparo está chegando nesta quinta-feira (12) e o conserto das instalações elétricas, avariadas nas últimas chuvas, deve ser iniciado amanhã [sexta-feira (13)], com previsão de dois dias úteis para ser concluído".

Em seguida, as bombas da piscina devem ser reativadas para a limpeza da área, que deve começar na segunda quinzena de setembro, ainda de acordo com a Sinfra.



G1PE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »