Trump usa discurso anual para pressionar democratas por financiamento de muro

quarta-feira, fevereiro 06, 2019
O presidente dos EUA, Donald Trump, usou seu discurso anual sobre o Estado da União, nessa terça-feira (5), para pressionar os democratas a aprovar o financiamento ao muro que ele quer construir na fronteira com o México para impedir a entrada de imigrantes, em um impasse que ameaça jogar o governo em uma nova paralisação parcial.

Trump discursou na Câmara dos Deputados, em uma sessão conjunta que reuniu congressistas das duas Casas. Marcado para 21h (0h de Brasília), o discurso começou sete minutos depois, tempo que ele levou para chegar ao púlpito. Atrás do presidente sentaram-se o vice Mike Pence e a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi.

Trump abriu o pronunciamento pedindo que os membros do Congresso pudessem "governar não como dois partidos, mas como uma nação". "A agenda que eu vou expor nesta noite não é uma agenda republicana ou uma agenda democrata. É a agenda do povo americano", disse. "Juntos, nós podemos romper décadas de impasse político".

Mas logo criticou as políticas de "revanche, resistência e retaliação" e "investigações partidárias ridículas" como algo que poderiam comprometer essa união bipartidária.
A campanha eleitoral de 2016 do republicano é alvo de uma investigação da Procuradoria Especial por suspeita de conspiração com a Rússia para interferir no resultado.

"O Congresso tem dez dias para aprovar uma lei que vai financiar nosso governo, proteger nossa terra, e segurar nossa fronteira sul", afirmou Trump, sobre a aprovação do orçamento e o que chamou de uma "crise nacional urgente". Trump afirmou que o país tem o "dever moral" de criar um modelo que "proteja as vidas e os empregos" dos cidadãos americanos. E anunciou o envio de 3.750 soldados à fronteira com o México para se preparar para a chegada de mais uma caravana de imigrantes rumo aos EUA.

O impasse em torno do muro levou à paralisação mais longa da história do país (35 dias) e ao adiamento do próprio discurso de Trump, originalmente previsto para 29 de janeiro. Agora, republicanos e democratas tentam chegar a um acordo para manter o governo financiado depois do dia 15 de fevereiro, quando termina o prazo para um acordo.

O presidente não descartou declarar emergência nacional, o que lhe permitiria financiar o muro com outros recursos. Mas tal declaração não é assunto pacificado nas fileiras republicanas. O líder da maioria do partido no Senado, Mitch McConnell, por exemplo, já advertiu o presidente de que recorrer à medida poderia inflamar uma rebelião na legenda.

Trump também defendeu a política externa de seu governo. Sobre a Venezuela, afirmou apoiar a população "em sua nobre jornada pela liberdade" e voltou a condenar a "brutalidade do regime de Maduro, cujas políticas socialistas transformaram aquela nação de ser o mais rico da América do Sul em um estado de pobreza abjeta e desespero". Trump defendeu ainda a decisão de retirar as tropas americanas da Síria, afirmando que os EUA "virtualmente liberaram todo o território" controlado pelo Estado Islâmico no país e no Iraque das "garras desses assassinos sanguinários".

No entanto, ele admitiu a existência de membros remanescentes do grupo extremista. Quando anunciou a retirada, havia dito que EI estava derrotado. Trump confirmou ainda a realização de uma segunda cúpula com o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, nos dias 27 e 28 de fevereiro no Vietnã. "Ainda há muito trabalho a ser feito, mas meu relacionamento com Kim Jong-un é bom. Em junho de 2018, os dois se encontraram em Singapura para debater a desnuclearização da Coreia do Norte.

Houve momentos de surpresa durante o discurso. Em um deles, congressistas democratas vestidas de branco, cor do movimento sufragistas, aplaudiram o presidente quando ele falou sobre o papel das mulheres no mercado de trabalho - pegando o republicano desprevenido. "Vocês não deveriam fazer isso", brincou. "Muito obrigado. Todos os americanos podem se orgulhar de ter mais mulheres na força de trabalho do que antes".

Folhapress

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »