Jaboatão: Polícia indicia motorista de app que atirou em passageiros

segunda-feira, fevereiro 25, 2019
Foi indiciado pela Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) omotorista de aplicativo que fez dois disparos contra um grupo de adolescentes que solicitaram o serviço de transporte no dia 3 deste mês na Vila do Sancho, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. Os detalhes da ocorrência foram divulgados pela Polícia Civil em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (25).

Segundo o titular da 4ª Delegacia de Polícia de Homicídios, o delegado Carlos Couto, os três adolescentes envolvidos foram confundidos com assaltantes e o caso foi registrado inicialmente como uma tentativa de homicídio contra o motorista.

“Por volta das 22h, três jovens que estavam no bairro do Sancho, solicitaram o serviço de transporte particular através do aplicativo para irem para casa, no bairro de Coqueiral [também em Jaboatão]. Três motoristas de um aplicativo recusam a corrida, e os jovens acabaram solicitando [a viagem] por outro. O primeiro motorista recusou a corrida e o segundo confirmou”, detalhou o delegado.

Ele contou ainda que, quando o carro chegou, o motorista ficou a cerca de 60 metros da casa onde os jovens estavam, e que tentaram alertar que eram eles os passageiros, mas o carro continuou parado. “Os adolescestes se aproximaram do carro, e nesse momento o motorista arrancou bruscamente deixando o local. Só que ele acabou fazendo um retorno no quarteirão e voltou novamente para o ponto de partida”.

Ainda de acordo com o delegado, os jovens se aproximam novamente do veículo e nesse momento o motorista de transporte particular abriu o vidro e efetuou dos disparos contra os adolescentes. Um dos tiros atingiu o muro de uma casa e o outro atingiu o adolescente de 15 anos, que foi socorrido para o Hospital Otávio de Freitas, no bairro de Tejipió, na Zona Oeste do Recife, onde teve alta na última semana.

De acordo com o delegado, a arma usada pelo motorista foi adquirida regularmente, na época em que ele fez parte do Exército Brasileiro. “Ele tinha a posse, mas não o porte. A pistola calibre 380 foi recolhida e vai passar por perícia técnica e será enviada juntamente com o inquérito para o ministério público que deve apurar o caso”.

O motorista não teve a prisão preventiva solicitada, mas pode responder por lesão corporal de natureza grave e porte ilegal de arma de fogo.

FolhaPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »