Vigilantes paralisam atividades no Hospital da Restauração, no Recife

quinta-feira, janeiro 10, 2019
Vigilantes do Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central do Recife, paralisaram as atividades por tempo indeterminado desde a 0h desta quinta-feira (10). Os cerca de 60 profissionais da empresa Xerife, que atuam de forma terceirizada na maior unidade do estado, denunciam atraso de salários e outros problemas trabalhistas.


Segundo o Sindicato dos Vigilantes de Pernambuco, os vencimentos não são pagos há dois meses e o vale-refeição está atrasado há cinco meses. Além disso, segundo o sindicato, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) deixou de ser recolhido há um ano. O G1 tentou fazer contato com a empresa e não conseguiu.


De acordo com o diretor de secretaria do Sindicato dos Vigilantes de Pernambuco, Marcelo Mendes, no HR a paralisação tem adesão de todos os profissionais. Segundo ele, também estão parados profissionais da Xerife que atuam em outras unidades.


Mendes aponta que, ao todo, 150 homens suspenderam as atividades nos plantões dos grandes hospitais do Recife. “Temos paralisação parcial nos Hospitais Otávio de Freitas (Sancho), Agamenon Magalhães, (Casa Amarela), Barão de Lucena (Iputinga) e Geral de Areias”, afirmou.


Os vigilantes concentraram a mobilização no Hospital da Restauração. Mendes apontou que, por causa do movimento, foram suspensas as atividades de segurança patrimonial, controle de acesso ao estacionamento e aos prédios do hospital.


A categoria cobra, ainda, a realização de cursos de reciclagem, que são exigidos pela Polícia Federal (PF) para que o profissional exerça a profissão. “Tem gente correndo o risco de ser punido por falta desse curso”, acrescentou mendes.


Segundo ele, está prevista uma reunião no Ministério do Trabalho, no Recife, nesta quinta-feira (10), para tentar abrir uma negociação.


Hospital da Restauração, na área central do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo





Governo




Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Pernambuco informou que tem cumprido com os repasses financeiros à empresa responsável pelos vigilantes do Hospital da Restauração (HR).


A administração estadual disse, no entanto, que a Xerife não comprovou o pagamento das obrigações trabalhistas aos seus funcionários. Por isso, a secretaria está impedida legalmente de fazer novos repasses.


Na nota, o governo ressalta que que aguarda a documentação da Xerife para dar continuidade aos pagamentos. A secretaria informa, ainda, que a situação tem sido acompanhada pelo Ministério do Trabalho e que vem atuando para abertura de processo para aplicação das devidas penalidades à empresa para resolver a situação e garantir os direitos dos vigilantes.

G1

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »