Motoristas de aplicativos protestam por mais segurança em Pernambuco

segunda-feira, janeiro 21, 2019
Pedindo por mais segurança, motoristas de transporte de aplicativos das empresas se reuniram na manhã desta segunda-feira (21), na pista local da Av. Agamenon Magalhães, em frente ao Classic Hall, em Olinda, Região Metropolitana do Recife. Eles foram até o Palácio do Campo das Princesas, passando pela Av. Cruz Cabugá.

De acordo com Thiago Silva, responsável pela liderança dos motoristas no Estado, eles foram recebidos, nesta segunda-feira (21), por volta de 12h, no Palácio pelo Coronel Moraes, responsável pela Casa Militar e pelo delegado da Secretaria de Defesa Social (SDS), Cláudio Borba.

Após a reunião, ficou combinado que nos próximos dias deverá ocorrer um novo encontro do Governo de Pernambuco com a Associação dos Motoristas de Aplicativos de Pernambuco (Amape) para discutir novas medidas a fim de garantir mais segurança para os motoristas de aplicativos.


A pauta pedia que houvesse um encontro entre as empresas de aplicativo com o governo do estado para discutir sobre mais segurança, implementando estratégias de segurança em conjunto. A reunião durou de cerca de 1h30 e Thiago a classificou como ‘bastante produtiva’.

Dados
De acordo com a Amape quatro motoristas de aplicativo e centenas de veículos foram roubados, somente nos primeiros dias de 2019. Entretanto, a SDS ainda não divulgou dados referente ao mês de janeiro que trate sobre essas informações. No último mês de dezembro, a SDS registrou um balanço de 305 Crimes Violentos Letais Internacionais (CVLI) , mas não especificam crimes referentes aos motoristas de aplicativo.

Manifestação
Um dos motoristas presentes na manifestação - que não quis se identificar - contou sobre a existência de grupos no aplicativo de mensagens WhatsApp criados com o objetivo de compartilhar as situação de riscos vividas pelos profissionais.

Ainda segundo ele, o número de ocorrências tem crescido. “Na semana passada fui ameaçado por um passageiro dentro da comunidade Linha do Tiro. Ele falou que era melhor eu realizar a corrida com o número de passageiros em excesso, olhando para mim e segurando algo por dentro da camisa que parecia uma arma. No final, nem o pagamento foi realizado”, relatou.

O responsável pela liderança dos motoristas no Estado, Thiago Silva, explicou que todo o cuidado está sendo tomando para que o ato não retenha o trânsito nas vias. “Não queremos de jeito nenhum prejudicar a vida do cidadão, por isso escolhemos um horário que não é de pico e sem obstrução de vias”, disse. Agentes da Companhia de Trânsito e Transporte (CTTU) foram chamados e acompanharam a manifestação.

Ainda segundo Thiago, as empresas de transportes por aplicativos têm tecnologias de ponta para proporcionar segurança, que pode trazer bons resultados se atreladas com o efetivo policial. “Juntando os dois conseguiremos boas políticas para garantir as melhorias para que motoristas e passageiros estejam seguros”, completou.

O ato foi organizado através das redes sociais, pela hashtag #MaisSegurança e faz parte da ação nacional em defesa da vida dos motoristas, com manifestações programadas por todo o país. O protesto seguirá pela Av. Cruz Cabugá, passando pela sede da empresa Uber, no bairro de Santo Amaro, Região Central do Recife. O destino final será o Palácio do Campo das Princesas, onde uma pauta com propostas para melhorar a segurança será entregue ao governador Paulo Câmara.

O trânsito nas mediações do Classic Hall ficou lento no momento do ato no local, mas foi liberado pouco antes das 11h pelos agentes de trânsito, que acompanharam a manifestação até o Palácio.

Em contato com o portal Diário do Grande Recife a assessoria de imprensa da Uber se manifestou
sobre o caso.

Veja a nota.

A Uber acompanha a movimentação e entende que, como autônomos, os motoristas parceiros têm o livre direito de se manifestar, dentro do que a lei permite.

Segurança é prioridade para a Uber e a empresa está sempre buscando aprimorar sua tecnologia para fazer da plataforma a mais segura possível de uma forma escalável.

Ao longo do ano de 2018, a Uber passou a adotar no Brasil o recurso de machine learning, que usa a tecnologia para bloquear viagens consideradas mais arriscadas e lançou uma ferramenta que reúne os recursos de segurança para motoristas parceiros, inclusive um botão para ligar para a polícia em situações de risco ou emergência diretamente do app.

Ouvindo motoristas e buscando o equilíbrio da transparência com a experiência dos usuários, a Uber lançou em agosto do ano passado seu novo aplicativo para motoristas, que inclui a informação de qual será a forma de pagamento antes de o usuário embarcar. Se o usuário escolher efetuar o pagamento em dinheiro, por exemplo, essa opção será exibida na tela do aplicativo de quem está atrás do volante.

Além disso, o aplicativo exige do usuário que quiser pagar somente em dinheiro que insira o CPF e data de nascimento, dados que são checados com a base de dados da Receita Federal. Todas as viagens são registradas por GPS, o que permite que a Uber colabore com as autoridades, nos termos da Lei, em caso de necessidade, e o motorista também pode compartilhar a localização, o trajeto e o horário de chegada, em tempo real, com quem desejar.

Por fim, os parceiros contam com um número de telefone 0800 para registrar e solicitar apoio da Uber depois que tiverem comunicado incidentes às autoridades e estiverem em segurança - por exemplo, no caso da necessidade de acionar o Seguro para Acidentes Pessoais que cobre todas as viagens. O aplicativo da Uber permite ainda que solicitações de viagens sejam canceladas por motoristas parceiros por motivo de segurança quando não se sentirem confortáveis.

Como parte desses esforços, a Uber anunciou seu primeiro Centro de Desenvolvimento Tecnológico da América Latina, em São Paulo, com foco inicialmente em segurança. Serão até 150 especialistas trabalhando nesse projeto, que receberá investimentos de R$ 250 milhões.


Diário do Grande Recife com FolhaPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »