Ex-gari, corredor e exemplo: conheça Pedro, um dos 44 pernambucanos na São Silvestre 2018

sábado, dezembro 29, 2018
Dentre os 44 corredores pernambucanos que embarcaram na manhã desta quarta-feira rumo à São Silvestre, em São Paulo, está Pedro Álvares, de 57 anos. Na hora do embarque, em frente à Prefeitura do Recife, calçando sandálias havaianas, o corredor anônimo se juntou ao grupo apenas como mais um entre os milhares que irão disputar a prova no próximo dia 31, na maior cidade do país. Entre tantos e tantos, mas com uma história única, singular. De quem com o orçamento limitado acostumou-se a correr por várias vezes descalço. Desta vez, devidamente equipado, partiu animado para a sua 14ª participação (de 94 edições) na corrida de rua mais popular do Brasil.


Atualmente desempregado, Pedro chegou a trabalhar cinco anos como gari, entre 2005 e 2011. E usava o percurso do caminhão, que tinha como trajetos a Avenida Caxangá e o município de Camaragibe para colocar em prática uma paixão antiga pelo atletismo. Em cada parada para pegar as sacolas de lixo, uma “corridinha de leve”, como ele mesmo diz. E, ninguém conseguia ser tão rápido na tarefa. Muitos colegas que trabalharam com ele reconheciam que não dava para acompanhar o ritmo.


“A turma me chamava de corredor. ‘Lá vem o corredor, bota o corredor naquele caminhão’, diziam. Menino novo quando trabalhava comigo falava: ‘não vou trabalhar com corredor porque não aguento não, ele corre demais’. E eu não parava, corria de um lado, corria de outro”, relembra Pedrinho, como é chamado pelos amigos.


Nascido e criado no Recife, o pernambucano rumou para um destino que lhe é comum: São Paulo. Neste ano, Pedrinho completará 14 anos participando da São Silvestre e terá a companhia de cerca de 30 mil corredores. Com entusiasmo para chegar a data da competição, na próxima segunda-feira, semelhante ao de quando esteve pela primeira vez na maior corrida da América Latina. “Ela marca o ano. Quando chega outubro, a gente fica ansioso. No dia 28, quando a gente chega em São Paulo, a ansiedade fica maior. Mas, quando a São Silvestre acaba, a gente já pensa no próximo ano”, afirmou.


Para realizar o sonho de continuar participando da prova, Pedro recorre aos trocados dos demais comerciantes onde mora, em Camaragibe. Ao longo do ano, vai de porta em porta pedindo aos vizinhos com o seguinte bilhete em mãos: “Ajude um atleta rumo à São Silvestre”. Segundo ele, para quem vai encarar 15 quilômetros a ser percorridos na prova, é um trajeto fácil: “Meus pés nem doem. Parece que estou correndo descalço. É tudo pelo meu amor ao esporte e ao atletismo”, completou.
A corrida
A Prefeitura do Recife disponibilizou ônibus e preparação física e técnica para os corredores pernambucanos que disputarão a São Silvestre. O ônibus partiu na manhã desta quarta-feira, às 9h, com previsão de chegada em São Paulo nesta quinta-feira (28). A largada da corrida será na Avenida Paulista e a chegada em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero.

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »