Saiba quem são os candidatos a presidente nas Eleições 2018

segunda-feira, agosto 06, 2018
Após meses de negociações, barganhas, acordos e expectativas, ocenário eleitoral está praticamente definido. Com o final das convenções partidárias, que se encerraram no domingo (5), o brasileiro já sabe quem são os 14 presidenciáveis e os seus vices, e poderá, a partir de agora, ficar atento às suas propostas e postulações. Os registros das candidaturas têm que ser feitas até o dia 15 deste mês. Há informações sobre a possibilidade de a candidata do PCdo B, Manuela D'Ávila, desistir de concorrer. Caso isso se confirme, haverá 13 candidatos à eleição para presidente da República no dia 7 de outubro.

Na linha de frente das pesquisas de opinião, dois nomes lideram a preferência dos brasileiros: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o capitão militar Jair Bolsonaro (PSL). Mesmo preso, Lula, que teve seu nome indicado no último sábado (4) pelo PT, vai tentar concorrer ao cargo. Sua candidatura depende da lei da Ficha Limpa, e tem que ser referendanda pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O vice do petista deve ser o ex-ministro Fernando Haddad, indicado na noite do domingo por meio de uma carta enviada por Lula à Executiva Nacional da sigla. Contrariando sua assessoria jurídica, inicialmente, Lula era o único presidenciável que havia optado por não indicar o vice, o que poderia lhe trazer mais problemas, pois sua decisão iria de encontro às recomendações feitas pelo TSE.

Na carta, Lula também cogitou a possibilidade de Manuela d'Ávila (PCdoB) compor a chapa, deixando a decisão para a executiva do PT. No caso de Lula, existe um "plano B" em curso para substituição do seu nome, que seria, exatamente, o de Haddad. Outro candidato que lidera as pesquisas - e as polêmicas - é o capitão Jair Bolsonaro (PSL), que, somente no domingo, anunciou o seu vice. Ele apresentará uma chapa "verde-oliva", pois será acompanhado do general da reserva Antonio Hamilton Mourão (PRTB).

Mourão já causou frisson pelas declarações políticas, como a que sugeriu que os seus "companheiros do Alto Comando do Exército"entendem que uma "intervenção militar" poderá ser adotada se o Judiciário "não solucionar o problema político. Hoje, Mourão admite que foi infeliz na afirmação.

Bem posicionada junto à opinião pública, Marina Silva (Rede) foi outra que demorou a definir seu companheiro de chapa, o verdeEduardo Jorge (PV). Apesar da boa aceitação junto ao eleitorado, ela tem poucos aliados. Marina concorre pela terceira vez à presidência da República. Em 2014, assumiu a vaga do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em acidente aéreo durante as eleições.

Outra opção forte é o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PDSB), que tem como vice a senadora Ana Amélia (PP-RS). Veterano na política, o tucano conta com uma das chapas mais estruturadas, seja em termos de aliança - inclusive com o apoio do bloco conhecido como centrão -, seja em termos de inserção nos guias eleitorais: terá cerca de 5 minutos e meio diários. O senador Álvaro Dias (Podemos) é outro nome que desponta entre os veteranos da política. Seu companheiro de chapa é o ex-presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, que desistiu de ser candidato à presidência e se aliou a Dias.

Soluções caseiras

Inicialmente cotado como candidato preferencial do PSB - que acabou optando pela neutralidade e favorecendo o PT nacional - o ex-governador Ciro Gomes (PDT) não conseguiu reunir em torno de si o apoio esperado. Apesar de ter lançado sua candidatura no último dia 20, primeiro dia útil das convenções, acabou optando por uma solução caseira para compor sua vice, que será ocupada pela senadora Kátia Abreu (PDT), ex-ministra de Dilma e sua aliada fiel no processo de impeachment.

O ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB), que carrega o peso de ser o "candidato de Michel Temer", também encontrou no seu partido uma solução: seu parceiro de chapa será Germano Rigotto (MDB-RS). A comunista Manuela D´Ávila (PCdoB) optou por um parceiro na área sindical. O escolhido para seu vice é o sindicalista Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil . Outro candidato no campo da esquerda é o líder do Movimento dos Trabalhadores sem Teto, Guilherme Boulos (PSOL). Ele terá como vice a militante indígena Sônia Guajajara.

Outros candidatos que estão no páreo são João Amoêdo (Novo) - que terá como vice o cientista político Christian Lahbauer - ; José Maria Emayel - que seguirá com o pastor Hélvio Costa; e Vera Lúcia (PSTU), que terá como parceiro o professor e ativista Hertz Dias. O filho do ex-presidente João Goulart, João Goulart Filho será o candidato do PPC e o Cabo Daciolo é o cabeça de chapa do Patriota.



FOLHAPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »