Divulgada a programação da Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco; confira

terça-feira, agosto 07, 2018
Dezesseis municípios estão envolvidos na programação da 11ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, cuja temática é “Gestão Compartilhada: perspectivas e desafios” – no intuito de agregar o poder público, a iniciativa privada, academia e a sociedade civil em torno da preservação de patrimônio. Aprogramação começa na próxima segunda (13) e segue até 17 de agosto, com debates, seminários, rodas de diálogos, ações educativas e exposições. [Confira a programação no fim da página].

“A Semana tomou uma dimensão muito grande com o envolvimento dos municípios e de entes parceiros e a aproximação das universidades, que precisam estar inseridas na realidade. Com a gestão compartilhada, vai ficando claro quais são as responsabilidades de cada parceiro nessa questão”, pontuou a presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Márcia Souto. Recife, Abreu e Lima, Belém do São Francisco, Brejo da Madre de Deus, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Caruaru, Floresta, Glória do Goitá, Gravatá, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Tamandaré e Vicência são os municípios participantes desta edição do evento.

A abertura será às 14h da próxima segunda (13) no Teatro Arraial Ariano Suassuna, com conferência e apresentação do artista e pesquisador Antônio Nóbrega. Entre as palestras que levam o nome da Semana, está a da mesa redonda "Gestão compartilhada no Bairro do Recife", na terça (14), das 13h30 às 17h, também no Arraial - com palestras de Leonardo Guimarães (diretor executivo do Parque Tecnológico do Porto Digital), João Domingos Azevedo (presidente do Instituto Pelópidas Silveira) e Ricardo Piquet (diretor-presidente do IDG/Paço do Frevo e do Museu do Amanhã, RJ).

A programação destaca a oficina de zeladoria, que prepara gestores de equipamentos do Governo do Estado para a correta conservação do patrimônio, sem risco de danos. Márcia, que já foi secretária de Patrimônio de Olinda, lembra que a preservação não tem um custo baixo. “A educação patrimonial é o único caminho, é a ação que pode realmente gerar desdobramentos”, diz.

Patrimônio vivo e imaterial

Está na programação da Semana do Patrimônio Cultural a solenidade de entrega do O Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco e a diplomação dos novos Patrimônios Vivos de Pernambuco, que já foram escolhidos: Gonzaga de Garanhuns (reisado), Mestre Zé de Bibi (cavalo marinho), Cavalo Marinho Estrela de Ouro, Cristina Andrade (ciranda, pastoril, urso), Banda Musical Saboeira (banda filarmônica) e Casa Xambá (organização religiosa). De 2003 até hoje, 57 Patrimônios Vivos de Pernambuco já foram titulados.

“Com relação ao patrimônio imaterial, está na Alepe (Assembleia Legislativa de Pernambuco) o Projeto de Lei, proposto pelo Executivo, para registro formal no Estado. Até hoje, esse registro é feito apenas nacionalmente, pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)", disse Márcia Souto.



FOLHAPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »