Classificação do Náutico teve tabus quebrados na Série C

segunda-feira, agosto 06, 2018
Toda regra tem exceção. A classificação antecipada do Náutico ao mata-mata da Série C 2018, com a vitória por 2x0 diante do ABC é a prova disso. Após o péssimo começo na primeira fase, o prognóstico para os alvirrubros era preocupante. Não só na luta pelo G4 como também com relação ao risco de rebaixamento à Série D. Exemplos de edições anteriores do torneio mostravam que só um milagre mudaria a história do Timbu. Tabus que, um por um, foram quebrados.

O Náutico é o único clube na história da Série C que alcançou o G4 após somar menos de dois pontos nas quatro primeiras rodadas, levando em consideração o atual modelo de disputa adotado em 2012, dividido em dois grupos com 10 equipes cada. Os outros 11 clubes que viveram situação idêntica tiveram um destino ingrato. Oito foram rebaixados e três conseguiram apenas evitar a queda.

Mais uma marca superada: até 2017, nenhum time que fechou o primeiro terço da fase de grupo na lanterna chegou ao bloco dos quatro melhores. Ao todo, 12 passaram pela amarga experiência e apenas quatro evitaram a ida à Série D. Da sexta rodada em diante, o Náutico teve 11 compromissos, com oito vitórias, dois empates e uma derrota. Está invicto há nove partidas. Campanha toda construída após a chegada do técnico Márcio Goiano. No mata-mata, os pernambucanos terão a vantagem de jogar a segunda partida em casa.

Caso consiga o acesso à Série B, o Náutico integrará outros dois seletos grupos. O primeiro, dos clubes que conseguiram um título estadual e um retorno à Segundona na mesma temporada. ASA (2009), ABC (2010 e 2016), Santa Cruz (2013) e Sampaio Corrêa (2017) são os únicos que possuem a marca. A segunda é a lista das equipes que foram rebaixadas em um ano e subiram no seguinte. O Icasa caiu para a C em 2011 e voltou à B em 2012. Paysandu (2013-2014), Vila Nova (2014-2015), além de ABC e Boa Esporte (2015-2016) são os demais detentores do feito.

STJD

Ortigoza será julgado nesta segunda (6) pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta da expulsão no jogo contra o Santa Cruz, na 10ª rodada, no Arruda. O artilheiro do clube na temporada, com 12 gols, foi enquadrado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em "assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva". A pena varia de duas a seis partidas. Com isso, o atleta corre o risco de desfalcar o Timbu tanto no duelo perante o Remo, no próximo sábado, pela rodada final da primeira fase, como também nos embates das quartas de final da Série C.



FOLHAPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »