Família de advogado nega crime por herança

quarta-feira, julho 18, 2018
Familiares do advogado André Ambrósio Ribeiro, assassinado com cinco tiros na cabeça na tarde da última quinta-feira, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, não acreditam que a morte dele tenha sido motivada por herança, hipótese que chegou a ser divulgada logo após o crime.

A possibilidade havia sido levantada porque a irmã mais velha de André também foi executada há 20 anos, no bairro da Boa Vista, no Recife, numa briga supostamente envolvendo a divisão dos bens do pai, morto há quase 30 anos em um acidente, durante viagem à Itália. A questão da herança, afirmam parentes da vítima, teria sido resolvida no ano passado. Com isso, os familiares não sabe mais no que acreditar em relação à motivação do crime.

“A polícia está empenhada mas, sinceramente, nós não sabemos o porquê disso ou quem mandou fazer isso. A separação dele foi normal, dentro do possível, só com aquele estresse para saber com quem ficaria a guarda da filha. Mas nada fora do comum. Ele tinha um escritório, continuava advogando. Era alguém tranquilo. Nós realmente não fazemos ideia”, informou um parente de André, que pediu para não ser identificado.

O carro que teria sido usado no homicídio foi encontrado queimado nesta terça-feira (17), em Cupira, no Agreste. O veículo será periciado e seu trajeto a partir de Caruaru será rastreado. O retrato falado do assassino já foi divulgado.

Ele abordou a vítima, diante da filha e da babá da criança, anunciando um assalto, mas nada levou. A Ordem dos Advogados do Brasil(OAB) se pronunciou e disse que vai averiguar se o crime tem ligação com o exercício profissional da vítima.



FOLHAPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »