Moradores criam grupo com a polícia em aplicativo de mensagens para mapear assaltos na Zona Sul do Recife

segunda-feira, junho 18, 2018
Moradores de Setúbal, na Zona Sul do Recife, criaram um grupo no aplicativo de mensagens WhatsApp para manter contato permanente com a polícia e ajudar no mapeamento das ocorrências. Com a ferramenta, eles compartilham fotos, imagens de câmeras de segurança e dão o alerta sempre que percebem alguma movimentação suspeita.

Uma das criadoras do grupo, a advogada Paula Torres explicou que a iniciativa funciona como um plano colaborativo. Segundo ela, desde a criação do grupo, em julho de 2016, houve uma diminuição de um terço no número de crimes reportados por meio da ferramenta.

“Existia pontos de desova de carros roubados, que a gente já sabia. A gente sabia dia, a gente sabia horário, sabia 'modus operandi'. E a gente percebeu que, na medida em que foram chegando essas informações, foram sendo desbaratados [os pontos de desova]”, explicou Paula.

Formado em direito, Lucilo Andrade de Lima também ajudou na criação do grupo. Segundo ele, a postura colaborativa dos moradores é importante para que a ferramenta funcione.

“É a gente passar a ter uma postura cidadã e não apenas figurar como contribuinte. Eu acredito hoje em dia na sociedade de informação. A gente deve adotar, dentro da cidadania, uma postura muito mais colaborativa do que, digamos, de financiamento”, pondera Lucilo.

Comandante do Batalhão da Polícia Militar responsável pela área, o tenente-coronel William Araújo explicou que o modelo é inspirado num método japonês, que aproxima os policiais da comunidade.

“O policial conhece os moradores, os comerciantes, conhece todo mundo que está fazendo parte daquela comunidade. Então, qualquer pessoa estranha que vier para aquela comunidade, ele vai abordar, ele vai querer saber para onde vai, para poder garantir a segurança daquele local”, disse William.




G1PE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »