Universidades de PE mantêm aulas canceladas e escolas retomam funcionamento no Grande Recife

terça-feira, maio 29, 2018
Instituições de ensino em Pernambuco mantêm suspensas as atividades acadêmicas e administrativas por conta do desabastecimento de combustível devido à greve dos caminhoneiros, que chegou ao 9º dia nesta terça (29).

Para esta quarta (30), ficam sem funcionamento a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), a Universidade de Pernambuco (UPE), a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE).

A prefeitura do Paulista, no Grande Recife, suspendeu as aulas da quarta (30) na rede municipal de ensino. Porém, o expediente escolar é normalizado nas escolas municipais de Olinda e de Jaboatão dos Guararapes nessa data. As escolas públicas estaduais mantêm as aulas. No Recife, continuam funcionando as escolas e creches municipais.

UFPE

Na UFPE, a suspensão das aulas e do expediente nos campi do Recife, de Vitória de Santo Antão e de Caruaru está mantida para quarta (30). Por nota, a instituição explicou que o motivo é o fato de que “o fornecimento de combustíveis e o transporte público ainda não estão regularizados no estado, prejudicando a mobilidade de alunos, técnicos e professores”.

Na quinta (31), a UFPE não funciona devido ao ponto facultativo por causa do dia de Corpus Christi. Nessa data, às 14h, a Reitoria divulga um comunicado sobre o funcionamento da instituição na sexta (1º). Durante o período, os serviços essenciais devem ser mantidos, como o Hospital das Clínicas e a Superintendência de Segurança Institucional, segundo a universidade.

UFRPE

A UFRPE também decidiu suspender as atividades até a quinta (31). Na quarta (30), a suspensão ocorre em caráter preventivo, por causa dos "problemas de abastecimento de combustível e mobilidade em todo o estado". Na quinta, o cancelamento do expediente é motivado pelo feriado de Corpus Christi. Com relação às aulas da sexta (1º), a UFRPE emite um comunicado até as 16h d

UPE

Além de suspender as aulas nos turnos da tarde e noite desta terça (29), a UPE cancelou as atividades acadêmicas nos três turnos (manhã, tarde e noite) da quarta (30) em todos os seus 15 campi. “A medida foi tomada devido aos problemas enfrentados, ainda, por alunos, professores e funcionários para chegar à universidade, visto que o abastecimento e o transporte público, ainda não foram totalmente resolvidos”, informou por meio de nota.

No entanto, ficam mantidas as atividades administrativas da UPE na capital pernambucana e no interior do estado. Um novo comunicado da universidade será emitido às 14h da quinta (30).

IFPE

Com aulas suspensas desde 24 de maio, o IFPE manteve o expediente cancelado para a quarta-feira (30), em todas as unidades do Instituto. Em nota, a instituição de ensino afirmou que decidiu suspender as atividades "considerando que os serviços de transporte ainda não foram normalizados".

O documento diz, ainda, que "a gestão tem avaliado a situação dia a dia, buscando assegurar o bem-estar e a segurança dos servidores e estudantes".

Os candidatos do Vestibular 2018.2 do IFPE que solicitaram isenção da taxa de inscrição devem aguardar a divulgação de um novo prazo para entrega dos documentos comprobatórios.

Unicap

Após uma assembleia extraordinária na tarde desta terça (29), a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) decidiu que estão suspensas as atividades na quarta (30). Nesse dia, o corpo administrativo da Unicap se reúne em expediente extraordinário, das 8h às 17h, para elaborar um novo cronograma letivo, com o adiamento das provas previstas por conta das "circunstâncias atuais do país e prezando pelo bem-estar do alunado”.

Nesse horário na quarta (30), os setores da universidade ficam abertos para atender aos alunos. Na quinta (31), as aulas foram suspensas por causa do feriado de Corpus Christi e, na sexta-feira (1º), a instituição pretende retornar às suas atividades integralmente, tanto administrativas quanto acadêmicas.
Transporte público
O desabastecimento de combustível também afetou o transporte público, que teve frota reduzida até domingo (27). Na segunda (28), o governo prometeu 100% da frota de coletivos em circulação, mas a população ainda reclamou de demora nas paradas de ônibus do Grande Recife. A situação dos ônibus começou a se normalizar nesta terça (29). Segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte, toda a frota está nas ruas e fiscais atuam para garantir o funcionamento do transporte público.

Bloqueios em estradas

De acordo com o governo do estado, entre a noite de segunda-feira e o fim da tarde desta terça, foram liberadas rodovias estaduais e federais, como a PE-75, em Goiana; a Estrada de Curcurana, em Jaboatão; a PE-28, no Cabo de Santo Agostinho e a BR-101, em Igarassu.

Caminhoneiros seguem acampados às margens da Avenida Portuária, no Porto de Suape, no Grande Recife. Pelo local, passam apenas os comboios escoltados pela Polícia Militar ou pelo Exército. Os outros caminhões seguem sem acesso ao complexo portuário. Caminhões também continuam estacionados às margens da BR-101, no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, deixando passar ônibus e carros de passeio.

No início da tarde desta terça-feira (29), os caminhoneiros que realizaram protestos nas BRs 232 e 104, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, liberaram as rodovias após orientação da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Aeroporto

De acordo com a Infraero, até as 18h desta terça (29), 11 voos foram cancelados no Aeroporto do Recife e outros 58 decolaram com direção a outras cidades, sendo dois com atraso. O terminal aéreo saiu da lista de aeroportos desabastecidos do país no domingo (27), depois de ficar dois dias sem combustível. O órgão continua a aconselhar que os passageiros liguem para as empresas aéreas para saber a situação dos voos antes de ir até o aeroporto.

Avicultura

A falta de combustível afetou 90% das 120 avícolas pernambucanas, desde o início da greve dos caminhoneiros, segundo a Associação Avícola de Pernambuco (Avipe). Segundo a entidade, o estado é o maior produtor de ovos e frangos do Nordeste, com mais de 1.500 granjas. Sem combustível para os caminhões que transportam rações para as empresas, aves começaram a morrer. As avícolas também estão perdendo os pintinhos que deveriam ser transportados dos incubatórios, onde nascem, para as granjas em que são criados.

Gás de cozinha

Apesar dos comboios que saíram de Suape, nenhum caminhão com botijões de gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha) saiu do porto. A mercadoria também está retida em bloqueios nas rodovias do estado. O desabastecimento obrigou moradores do Recife a buscar alternativas para conseguir cozinhar, como usar carvão e lenha. Em alguns prédios e condomínios, onde o gás de cozinha é distribuído por meio de uma central, moradores estão sendo aconselhados a racionar o uso do produto, para que não falte.

Em Fernando de Noronha, falta gás de cozinha desde sábado (26). A gasolina e o óleo diesel estão racionados a 10 litros por dia, para cada morador. No arquipélago, produtos como frutas, verduras, ovos e frios começam a faltar. A previsão é de que embarcações de carga cheguem a Fernando de Noronha com o combustível e o gás apenas no final da semana.

Medicamentos

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) trouxe para o Recife remédios para um centro de nefrologia em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. A greve dos caminhoneiros afetou o fornecimento de insumos, que foram trazidos de Montes Claros (MG). (Veja vídeo acima)

A clínica tem convênio com o SUS e, segundo a direção, só tinha medicamento suficiente para atendimento até a quinta-feira (31), mesmo reduzindo o tempo de hemodiálise dos pacientes. Cerca de 90% dos atendimentos são feitos através do convênio.

O pedido de ajuda ao Ministério da Saúde foi feito por meio da Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante, que reúne centros de todo o Brasil.



G1PE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »