Procon estabelece regras para venda de combustível em PE durante greve dos caminhoneiros

terça-feira, maio 29, 2018
A pesar de alguns postos de combustível no Grande Recife voltarem a ser abastecidos no domingo (27), o fornecimento ainda é irregular nesta terça (29), 9º dia da greve dos caminhoneiros. Devido à grande quantidade de motoristas que formam filas enormes para tentar abastecer, alguns deles utilizando até galões de água mineral, que não são apropriados para acondicionar os produtos inflamáveis, o Procon estabeleceu regras para a venda do combustível em Pernambuco e prometeu multar postos que venderem gasolina ou álcool em recipientes ilegais.

A nota técnica do Procon e do Corpo de Bombeiros com regras para o abastecimento de combustível no estado durante a paralisação dos caminhoneiros visa garantir a segurança e uma melhor distribuição entre os consumidores. Entre as regras, está a limitação de 30 litros de combustível para veículos em geral e 10 litros para motocicletas.

Os condutores que quiserem abastecer em recipientes precisam apresentar o documento do veículo para comprar o combustível. O nome do comprador precisa constar no documento e o recipiente precisa ser apropriado para o acondicionamento de combustíveis, cumprindo as regras do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Em muitos postos, os condutores chegam a dormir nos estabelecimentos.

Segundo o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, há relatos de pessoas revendendo combustível irregularmente após a compra nos postos. “O risco é altíssimo de se guardar esse combustível em casa e até mesmo no momento da compra, a céu aberto, quando pode haver uma explosão. Temos relatos de pessoas usando tufos de pano embebidos em gasolina para cozinhar por causa da falta de gás. É um perigo muito grande, principalmente por causa das crianças”, disse.

Além disso, os preços praticados pelos postos de combustível devem ser os valores de 21 de maio, um dia antes de a greve começar. O Procon informou que intensificou as fiscalizações e continuar recebendo denúncias dos consumidores. Quem presenciar algum descumprimento pode informar por meio das redes sociais do órgão ou através do telefone 0800.282.1512.

Transtornos à população

A falta de combustível tem causado transtornos à população desde o dia 21 de maio, fazendo com que mais de 90 cidades pernambucanas decretassem situação de emergência e que universidades, escolas e repartições públicas cancelem o funcionamento. Desde quinta (24), comboios saem do Porto de Suape, no Grande Recife, escoltados pela polícia e Exército, para manter os serviços essenciais à população e, alguns, com combustível para os postos.

Apesar disso, desde o início da greve, não são liberadas as cargas de gás de cozinha presas em bloqueios e no complexo portuário. O desabastecimento de combustível também afetou o transporte público, que teve frota reduzida até domingo (27). Desde segunda (28), o governo prometeu 100% da frota de coletivos nas ruas, mas a população ainda reclamou de demora nas paradas do Grande Recife. No Aeroporto do Recife, voos continuaram a ser cancelados nesta terça (29).



G1PE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »