O dilema de Claudinei na escolha entre Magrão e Maílson

sexta-feira, maio 11, 2018
São duas vitórias em dois jogos. Mais do que isso: a melhora no sistema defensivo sob o comando de Claudinei Oliveira é traduzida em números. Em dois jogos, apenas um gol tomado, contra quatro do seu antecessor, Nelsinho Baptista, no mesmo número de partidas. A pegada na marcação também é outra, tanto que o Sport assumiu o posto de time que mais desarma neste Brasileirão, com 88 desarmes certos, segundo o site Footstats.

Aos poucos, montando a sua escalação base, o treinador leonino tem pela frente um grande dilema na função de goleiro: comprar a briga para manter uma peça em formação, mas que deve ser o futuro próximo, ou bancar o retorno de um ídolo veterano recém-operado? Eis a questão que surge na Praça da Bandeira para o confronto diante do Cruzeiro, neste domingo, às 11h, no Mineirão.

Aos 41 anos, Magrão é considerado por muitos o maior ídolo da história do Sport. Com 13 anos de Ilha do Retiro, o arqueiro foi peça fundamental em sete títulos estaduais, um da Copa do Nordeste e o maior de todos, o da Copa do Brasil. Em sua reta final de carreira, ele era titular até poucos dias antes do Brasileirão 2018, quando sofreu uma lesão no joelho direito e teve que passar por cirurgia.

Com a péssima atuação de Agenor, substituto imediato, na estreia diante do América/MG, o jovem Mailson, de apenas 21 anos, viu a chance de ouro cair no seu colo. Titular no empate contra o Botafogo e nas vitórias diante de Paraná e Bahia, Maílson conseguiu exibir algumas qualidades, como a reposição de bola, a saída de gol por cima e a comunicação com o sistema defensivo.

Entre os jogadores, de um lado Maílson prega total respeito por "Seu Magrão", a quem considera uma referência na função. Do outro lado, não é diferente. Nessa concorrência sadia, o veterano não esconde também a admiração pelo novato. "Nós sabíamos da qualidade de Maílson. E falei sobre isso desde a primeira vez que o professor Nelsinho disse que estava pensando em colocá-lo na equipe. A gente teve uma conversa e eu falei para ele que o Mailson não ia ter problema nenhum, pelo que eu conhecia nos treinos. E foi o que aconteceu. Fez bons jogos, e acho que vai chegar o momento dele. Tudo tem seu tempo. Estou voltando a jogar e a gente tem um respeito muito grande", disse Magrão, jogando a decisão nas mãos de Claudinei Oliveira.



FOLHAPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »