Greve do caminhoneiros: falta de distribuição afeta setor produtivo

sábado, maio 26, 2018
O setor produtivo pernambucano sentiu os efeitos causados pela mobilização dos caminhoneiros. As maiores dificuldades são os obstáculos para conseguir escoar a mercadoria e a queda na produção por falta de insumos. De acordo com a Federação da Agricultura (Faepe), com a interdição em vários pontos de rodovias do Estado, a agropecuária está sendo impactado pela menor comercialização, incluindo as cadeias produtivas de leite, aves, frutas e suínos.

Segundo o presidente da Faepe, Pio Guerra, as limitações impostas nas estradas têm prejudicado o fornecimento de insumos às propriedades agrícolas, a manutenção do manejo adequado das atividades e a forma adequada de distribuição dos produtos, sendo a maioria perecível. Perdas sentidas são em produtos lácteos, aves e frutas frescas.

A falta de escoamento do setor de laticínios preocupa as entidades, já que a capacidade de armazenamento foi afetada. Segundo a Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos), mais de 51 milhões de litros de leite por dia não estão sendo coletados no Brasil. O impacto financeiro representa cerca de R$ 180 milhões por dia em todo o País. Devido a esses prejuízos, a entidade informou que vai se manter atenta ao cenário para uma solução que atenda aos interesses da cadeia produtiva.

Para a Faepe, a exportação de frutas enfrenta dificuldades, já que produtores não estão conseguindo atender a demanda dentro do prazo estabelecido em contrato. Porém, a entidade comunicou que eles estão com a emissão da documentação necessária e com o cumprimento de todo o procedimento legal. A Faepe informou que as cargas de manga e uva dos exportadores da região do Vale do São Francisco estão impossibilitadas de sair do município em direção aos portos, o que representa uma perda de 25% na produção da semana. Consequentemente, as mercadorias estão mantidas em caminhões frigoríficos com altos custos de manutenção.

Com a continuação da paralisação, o Sindicato Rural de Petrolina estimou uma perda de 80% na produção de uva e manga na região do São Francisco entre o período de 28 deste mês a 1º de junho. Segundo o presidente da Associação dos Produtores e Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport), José Gualberto de Almeida, a falta do óleo diesel está dificultando o suprimento das fazendas. “O impacto é na área operacional de produção. Além disso, houve transtorno grande para escoamento dos produtos para o mercado interno, já que é feito por meio de caminhões”, disse.

As produções estocadas nas granjas e estradas também chamou atenção da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe). Durante os quatro dias de paralisação, o órgão avaliou uma perda de 15% da produção mensal em Pernambuco, além de falta de ração em diversas granjas.

Automóveis

No setor automotivo, a Jeep informou que a produção no polo localizado em Goiana, na Região Metropolitana do Recife (RMR), está suspensa desde a última quinta-feira. A medida foi tomada devido à irregularidade dos fluxos logísticos causada pelo bloqueio de rodovias.



FOLHAPE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »