Estoque de gás de cozinha está perto do fim em Fernando de Noronha

sexta-feira, maio 25, 2018
O estoque de gás de cozinha só deve durar mais três ou quatro dias em Fernando de Noronha. A informação é da direção do posto de combustível, único local autorizado a comercializar o produto. A procura cresceu nos últimos dias, com a crise nacional de abastecimento. Por conta disso o gás está racionado. Cada pessoa pode comprar um botijão de 13 kg, as empresas também só podem adquir um recipiente de 45 kg.

“Cada CPF só pode comprar um botijão de gás. Aqui na ilha a situação é ainda mais complicada, estamos com medo de faltar alimento, estamos quase em pânico”, falou a a servidora pública, Graça Caldas.

“Em vim comprar gás porque estou com medo da crise. Fernando de Noronha é um dos locais mais prejudicados do Brasil porque tudo depende do barco, que depende do combustível. Mesmo assim eu apoio os caminhoneiros, são muitos impostos. Até em Noronha a gente paga muito imposto e não temos retorno”, disse a empresária Jane Soares.

“Eu trabalho numa pousada e vim comprar gás de cozinha por conta da crise de abastecimento. Nós já temos uma pequena reserva e vamos comprar para casos de emergência. Agora devemos ter gás para um mês e meio de consumo, espero que até lá a situação esteja resolvida”, afirmou a gerente financeira, Bárbara Vitor.

Nesta sexta-feira (25), as filas se repetiram no posto para compra da gasolina e do diesel. Cada motorista pode abastecer 10 litros de combustível. “Eu estou colocando todos os dias 10 litros, por enquanto está dando para trabalhar. A causa dos caminhoneiros é justa, mas no caso de Noronha é bem complicado”, avaliou o taxista Edmilson Veloso.

O diretor da empresa responsável pelo posto de Fernando de Noronha, Rafael Coelho, informou que tem uma ordem judicial autorizando a passagem do caminhão com combustível e gás de cozinha pelo bloqueio no Porto de Suape. Os produtos devem ser transportados para a ilha, mas segundo Coelho não há segurança para a passagem do veículo pelos grevistas.

“Nós temos a ordem judicial, mas a Polícia Militar tem se negado a dar o apoio para a passagem do caminhão. Nós queremos que o Governo do Estado colabore”, reclamou Rafael Coelho. Mesmo com o problema, o empresário garante que o estoque de gasolina é suficiente para o consumo de 20 dias e o diesel pode abastecer a ilha por 24 dias.

A Polícia Militar foi procurada pelo Blog Viver Noronha para falar da falta de apoio e a PM que em nota. “ O BChoque (Batalhão de Choque) nem o 18º BPM foram acionados para esta situação em Suape”, finalizou a nota da Assessoria de Imprensa da PM.



G1PE

Comente

Veja Também

Anterior
« Prev Post
Próximo
Next Post »